Economia colaborativa: Entenda o que é?

Você sabia que a economia colaborativa já faz parte do seu dia? O conceito está em todos os lugares, até mesmo na forma de consumir serviços. Bons exemplos disso são a Uber, o AirBnb, o GetNinjas, o Rappi e muitos outros aplicativos do seu celular.


E o que esses negócios têm em comum? Todos eles utilizam como base o compartilhamento de recursos humanos, físicos e intelectuais e o consumo colaborativo.


Continue a leitura para entender como o conceito vem movimentando a economia de forma positiva no Brasil e no mundo e criando alternativas que visam um novo estilo de vida e uma nova maneira de experimentar tudo ao seu redor.



Quais os impactos e os benefícios da economia colaborativa?


Este modelo de economia já vem causando impactos positivos no cenário econômico mundial. Tantos que uma pesquisa da consultoria PwC indica que a economia colaborativa deve gerar receitas superiores a US$ 350 bilhões até 2025.


Além disso, vale destacar que o Brasil é líder em iniciativas do tipo na América Latina de acordo com um estudo da IE Business School.


• 26% na área de prestação de serviços;


• 24% no setor de transportes;


• 20% no aluguel de espaços físicos.


Não é à toa que a projeção de especialistas indica que a economia colaborativa pode vir a representar 30% do PIB brasileiro em um futuro próximo.


Mas o que é consumo colaborativo afinal? De forma simples, a essência do conceito valoriza a o modelo de colaboração e de troca. O uso da tecnologia torna as coisas mais sustentáveis, conecta as pessoas, gera experiências, incentiva o uso de bens e espaços comuns. Vamos ver como isso funciona de forma prática.



Prestação de serviços


São vários os aplicativos que conectam pessoas com certas habilidades a pessoas que precisam de determinados serviços.


Na internet, você encontra diversas plataformas para trabalhos como freelancer, desde redação, design, programação a atividades até então restritas a indicações boca a boca. O maior exemplo aqui é o GetNinjas, que inclui serviços como pintura, elétrica, entre outros.


Neste mesmo universo, tem apps para ser guia local da sua cidade (Rent a Local Friend), desapegar de roupas que não usa mais (Enjoei), vender artesanato (Elo 7), passear com cachorros (DogHero) e por aí vai.



Transporte


Uber é o exemplo mais famoso, assim como o 99, que oferecem uma oportunidade de renda extra para quem procura trabalho e uma nova forma de se deslocar pela cidade para quem precisa de um carro.


Outro app que vem mudando a forma como nos deslocamos, seja a trabalho ou para viagens, e contribuindo para a mobilidade urbana, é o Blablacar. Trata-se de um aplicativo de caronas utilizado no mundo todo, que une pessoas com destinos em comum.



Aluguel


O AirBnb deve ser uma das plataformas mais populares quando se pensa em aluguel de casas, apartamentos ou até mesmo quartos. Muita gente aproveita o app para ganhar uma renda extra, alugando um dos cômodos da casa.


O conceito de consumo colaborativo não poderia ganhar força em melhor hora. Afinal, vivemos na era da transformação digital, em um momento em que as pessoas estão mais conectadas do que nunca e em que a tecnologia vem mudando a forma como lidamos com vários quesitos do dia a dia, desde o consumo de serviços até como interagimos com tudo ao nosso redor.

Receive our e-mails